terça-feira, 2 de maio de 2017

A Simplicidade e a Regra

Tema 6: A Simplicidade

Para mim, o tema mais difícil deste retiro! Simplicidade! É deixar tudo e ser pobre? É ter o suficiente para ser feliz? E o que é suficiente? É partilhar o que se tem? É pedir e dar aos outros? É saber aceitar o que se tem? 

Mancha, linha e ponto. Passado, presente e futuro. Tudo isto revelado no nosso caderno. 

Estava acompanhada pelo Mário, pelo Matias (que estava em dia de birra) e pelo Miguel. Fomos juntos à missa de Ramos na igreja de Santa Maria Maior, onde S. Francisco vivia com os pais. Enquanto o Matias se acalmava a comer frutos secos nós desenhávamos.
O pai de Francisco tinha uma personalidade agressiva e ficou bastante revoltado com a opção do filho. Já a sua mãe (Donna Pica) era mais compreensiva e pacificadora. 
 
 

Quando se sobe a caminho da Rocca Maggiore, para além da paisagem incrível que nos rodeia, também é possível encontrar pequenas ruas em que as portas quase se tocam uma nas outras. Os vizinhos falam de uma janela para a outra com uma distância de 5 passos. Os carros têm imensas dificuldades em fazer curvas mas ninguém fica stressado! Coisas típicas de pequenas aldeias! E o Matias dorme no carrinho ao meu lado, enquanto o Mário continuou até à Rocca Maggiore. Eu fiquei a meio caminho, atraída pela ambiente! 


Sabia que mais tarde ou mais cedo iria desenhar estes vales e árvores e telhados! Estava sentada no chão, sem o marido e sem o filho! Apenas com o caderno, o aparo e a tinta da china. Sem pressa e com simplicidade.

 

Tema 7: a Regra

Esta proposta era simples: criar um padrão e ao mesmo tempo ter um pouco de cada participante nos nossos cadernos. Como? Eu começo o padrão utilizando a cor que mais gosto (utilizando a caixa de aguarelas) e depois o caderno vai passando para a pessoa do nosso lado esquerdo. Utilizamos sempre a mesma cor nos cadernos dos outros, seguindo o padrão já criado. Depois do padrão feito, como desenhar por cima? O que fazer com as manchas? Como respeitar (ou não) as regras?


No meu caderno criei o quadrado roxo com um espaço branco no interior (segundo quadrado da primeira fila). E esse seria o ponto de partida para criar o padrão. Acontece que o meu vizinho do lado esquerdo resolveu fazer um quadrado completamente verde! O que me chateou, pois quebrou a “minha” regra logo no início! Foi o único que se desviou da “minha” regra e por isso foi o único quadrado que ficou fora da linha preta, enquanto todos os outros se encontram dentro ou tocam ao de leve na linha. 
Sim, tenho mau feitio!



2 comentários:

  1. O tema da simplicidade é sempre um desafio que nos faz pensar. Gosto disso. Pensar, reflectir,...e desenhar.
    O tema 7 da regra já tinha as linhas primeiro, ou é depois do padrão, em colaboração com todos, que desenhas? Muito muito interessante. Pois o Outro ao desenhar no nosso caderno vai quebrar qualquer coisa em nós. No nosso conforto. Mas o resultado foi admirável. Até breve.

    ResponderEliminar
  2. Teresa, afinal o simples é mais complicado do que parece ser!
    Fizemos primeiro o padrão com as manchas.
    Depois desenhei com a linha preta por cima.

    ResponderEliminar